Na contramão da crise, Leyard Brasil cresceu mais de 300% em 2016 O CEO da empresa de tecnologia, Orlando Custódio, fala dos desafios do mercado de displays

Marcado por turbulências políticas e econômicas, o ano de 2016 não foi fácil para a maioria das empresas brasileiras. Inflação acima da meta, desequilíbrio fiscal, instabilidade no câmbio, baixo crescimento e mudanças no Executivo foram alguns dos fatores que mais impactaram o período. Além da crise institucional doméstica, as companhias observaram um cenário global de desaceleração do crescimento e dos investimentos em diversos países desenvolvidos.
Diante de tantos percalços, as empresas que conseguiram alcançar boas taxas de crescimento estão comemorando seus resultados e sua capacidade de enxergar um 2017 promissor. É o caso da Leyard Brasil & América Latina, instalada em Curitiba (PR), que atua como subsidiária da marca chinesa Leyard, líder mundial em soluções de visualização digital. Na entrevista abaixo, o CEO da empresa, Orlando Custódio, fala sobre o crescimento de 313% em 2016.
Como foram os resultados da Leyard em 2016, global e localmente?
(Orlando Custódio) A marca Leyard continou a crescer em 2016, em todo o mundo. Em algumas semanas vamos publicar oficialmente os resultados. Na área internacional, terminamos o ano com aproximadamente 83% da meta para receita e com 99% da meta para o lucro líquido. A receita na região EMEA (Europa, Oriente Médio e África) foi suave este ano, e Japão e Ásia também entraram abaixo da meta de receita. Já a América Latina, com foco no Brasil, superou a meta de receita pela primeira vez, o que foi ótimo. No período, a companhia chegou a uma receita total de US$ 580 milhões. Na Leyard Brasil e América Latina, superamos a meta de vender US$ 5,2 milhões, com uma significativa participação do mercado brasileiro neste resultado, e registramos um crescimento de 313% no faturamento.
A que você atribui esse bom resultado da Leyard Brasil e América Latina?
(Orlando Custódio) Considero esses 313% de crescimento um sucesso, tendo em vista as dificuldades do período e o fato de estarmos completando apenas três anos de presença local. Apesar da sua liderança mundial, é a primeira vez que a Leyard conta com uma operação própria para a América Latina e o nosso crescimento comprova o quanto a decisão de ter uma subsidiária na região foi acertada. Trabalhamos com um produto de alto valor, com diversas aplicações em LED para projetos especiais. Poder comprar um item desse padrão diretamente do fabricante e contar com suporte e manutenção na sua região, no seu idioma e no seu fuso-horário dão todo um conforto para os nossos clientes. Essa relação direta com o fabricante é algo que poucas marcas oferecem por aqui, e certamente foi um diferencial para o nosso crescimento.
Além do suporte local, quais vantagens o consumidor tem ao comprar diretamente do fabricante?
(Orlando Custódio) Quando o cliente se relaciona com uma marca como a Leyard, ele está usufruindo, no dia a dia, de todo o know-how mundial da empresa. No nosso caso, somos uma marca altamente voltada a pesquisa, desenvolvimento e inovação, com um amplo departamento nessa área. Além disso, somamos as expertises de marcas como Planar, Glux, Linso LED e outras recentemente incorporadas à companhia, juntamente com seu amplo leque de produtos em LED, LCD e realidade virtual. Estamos falando aqui de transações milionárias. Por exemplo: há pouco mais de um mês, por meio da Planar, a Leyard realizou um acordo de fusão definitivo para adquirir a NaturalPoint, líder global em soluções de rastreamento óptico e captura de movimento, por US$ 125 milhões. Isso significa que, no Brasil e na América Latina, o cliente está a apenas um passo de todas essas soluções, por meio da subsidiária.
Falando em soluções, quais foram os principais lançamentos do Leyard em 2016?
(Orlando Custódio) Tivemos uma série de novidades, que surpreenderam integradores e diversos perfis de clientes finais. Foram lançados equipamentos da série QE da Planar, além de uma nova geração de displays para as séries Direct Light, TWA, TWS, Carbon Light, Clarity Matrix e OLED Transparente. Além disso, a Leyard foi eleita líder de mercado pelo Futuresource Consulting e, agora em janeiro, a marca já lançou uma nova era de monitores 4k. Para suportar o fornecimento de toda essa tecnologia, em 2017 a Leyard vai inaugurar mais uma unidade fabril na Europa, instalada na Eslováquia.
Quais foram os principais projetos realizados pela Leyard Brasil e América Latina em 2016 e em quais países da região?
(Orlando Custódio) Realizamos grandes projetos no Brasil, como o estúdio de televisão da NBC nas Olimpíadas do Rio, além de estúdios da Globosat e SportTV. Também instalamos grandes cases corporativos, para marcas como Postos Ipiranga, Citibank e Itaipu. Fora do país, participamos de projetos em shopping centers, estúdios de TV, estádios de futebol e cenários para grandes eventos, especialmente no Peru e no Paraguai.
E as perspectivas para 2017, como estão?
(Orlando Custódio) Nossa expectativa é manter ou ainda ampliar a taxa de crescimento da subsidiária brasileira. Para isso, estamos fortalecendo nossa linha de montagem dentro do país. A posição de liderança mundial da Leyard será certamente mantida – com crescimento de cerca de 100% previsto para 2017. Essa liderança global vai garantir também uma atuação robusta, segura e sem grandes obstáculos no Brasil e América Latina.

Compartilhar com: